DEPRESSÃO É MAIS DO QUE UMA QUESTÃO DE HUMOR

É querer voltar a sermos quem éramos antes.
E porque o tratamento existe, mostra-lhe quem
é o último a rir.

António Raminhos

Humorista, pai, marido e alguém que sabe
o que é sofrer de uma doença mental.

A DEPRESSÃO É MAIS QUE ESTAR TRISTE, É UMA DOENÇA QUE...

… pode afetar qualquer pessoa.
… ainda é incompreendida e estigmatizada pela sociedade.
… felizmente, tem tratamento.

MAS ANTES DE MAIS, VAMOS ACABAR JÁ COM ALGUNS MITOS EM TORNO DA DEPRESSÃO.

AINDA SE DIZ MUITA COISA SOBRE A DEPRESSÃO, POR ISSO ESTÁ MAIS QUE NA HORA DE DESMISTIFICAR.

circulo-01
"É ESTAR TRISTE"

Tristeza é uma emoção normal que todos sentimos. Depressão é uma doença que inclui a tristeza como um dos seus sintomas.

circulo-02
"É UMA REAÇÃO EXPECTÁVEL A UM ACONTECIMENTO DE VIDA NEGATIVO"

Todos temos reações a eventos negativos, mas a depressão instala-se independentemente do que nos acontece e mantém-se mesmo quando já não existem fatores de stress.

Circulo-3
"É APENAS UMA PERTURBAÇÃO EMOCIONAL"

Apesar da depressão ser uma doença do cérebro, tem um impacto não só a nível emocional, mas também cognitivo e físico.

Circulo-4
"É DE QUEM TEM MENTE FRACA"

Afeta qualquer pessoa e requer apoio profissional como outra doença.

Circulo-5
"FICA PARA A VIDA TODA"

Devidamente diagnosticada e tratada, pode-se curar e evitar recaídas.

Circulo-6
"HÁ-DE PASSAR POR SI MESMA"

Como doença que é, requer tratamento e acompanhamento médico.

Circulo-7
"NOS IDOSOS É MAIS HABITUAL"

A esperança média de vida aumentou, é esperado o aumento de casos nos idosos.

Circulo-8
"É UMA DOENÇA DOS TEMPOS MODERNOS"

Apesar de hoje em dia a doença ter mais visibilidade, sempre existiu e afetou pessoas de todas as realidades.

O que é preciso ficar a saber sobre a depressão?

A depressão é um dos problemas de saúde mental mais comum, sendo que 1 em cada 4 pessoas VÃO TER DEPRESSÃO a qualquer ponto das suas vidas.

A depressão é uma doença com desregulação neuroquímica que resulta de fatores biológicos, e de stress ambiental, nomeadamente stress do dia a dia.

QUADRO CLÍNICO:

1- É um estado permanente que se instala na pessoa e que tem que ter a duração de, pelo menos, 15 dias

2 – Tem que representar uma descontinuidade relativamente ao estado anterior da pessoa

3 – Causa sofrimento e disfunção

Existe um grande leque de sintomas que variam no tipo, duração, número e gravidade, afetando cada pessoa de maneira diferente. Podem ocorrer com ou sem qualquer causa óbvia e muitas vezes sem sequer nos apercebermos disso, até sentir que é algo que perdura e começa a ter impacto no nosso quotidiano.

A depressão afeta vários níveis e que podemos dividir em 3 categorias de sintomas:

QUAL É O IMPACTO DA DEPRESSÃO NA VIDA QUOTIDIANA?

Do trabalho à família, a depressão afeta as diversas vertentes da vida social de cada doente.

FALAR EM DEPRESSÃO SEM RODEIOS COM O RAMINHOS

Assista à conversa entre o conhecido humorista e diversos convidados para um diálogo aberto e sem papas na língua sobre esta doença.

PORQUÊ TRATAR?

COMO SE TRATA?

O tratamento de depressão é definido pelo médico psiquiatra em função da história clínica do doente, sendo que o tratamento combinado de fármaco e psicoterapia é mais eficaz do que qualquer um dos tratamentos isoladamente. Após iniciar o tratamento farmacológico, os resultados devem ser monitorizados pelo médico, sendo o objetivo a eliminação total dos sintomas e a remissão da doença – é importante que o tratamento consiga minorar todos os sintomas residuais para diminuir a probabilidade de recaída. Após a eliminação dos sintomas, um período de manutenção do fármaco é essencial para garantir que o cérebro consegue manter níveis estáveis.

Sabe-se que antigamente os antidepressivos tinham efeitos secundários como aumento de peso, apatia, diminuição da libido ou dependência, mas felizmente os fármacos atuais evoluíram neste sentido.

Existem outras intervenções não farmacológicas – como fazer exercício físico, manter uma dieta saudável e praticar técnicas de relaxamento – que são estratégias complementares, pois apesar de não substituírem o tratamento, podem ajudar a melhorar os sintomas.

FALE SEM RODEIOS COM O SEU MÉDICO, AS RECAÍDAS PODEM E DEVEM SER EVITADAS.

Se, no final do tratamento da depressão ainda persistir algum sintoma, o risco de ter uma recaída e voltar ter depressão é maior do que se não tiver qualquer sintoma.

O seu médico de família ou psiquiatra podem ajudar!
Falar abertamente garante que recebe o tratamento adequado para si.

DEIXEMO-NOS DE RODEIOS, FALAR MUDA TUDO.

Quer esteja a sentir que pode ter depressão, quer já esteja a seguir um plano de tratamento, falar sem rodeios sobre a doença com
o seu médico e com aqueles mais próximos de si pode fazer toda
a diferença.

Guias informativos para ajudar

Um retrato de Portugal e do mundo

Entidades que o podem ajudar

De quem o compreende

O que se diz por aí

OIÇA JÁ O PODCAST "DEPRESSÃO SEM RODEIOS"

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

EPISÓDIO 01

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore

magna 23 | MAR | 2021

COMO AJUDAR ALGUÉM COM DEPRESSÃO?

Se convive de perto com alguém que sofre de depressão e gostaria de saber como agir para dar o melhor apoio possível, não se
sinta desamparado.

 

AINDA NÃO SUBSCREVEU A NOSSA NEWSLETTER?

Fique a par de conteúdos pertinentes e sem rodeios para falar sobre a depressão. Não perca!

OU JUNTE-SE À CONVERSA

Participe ativamente nas nossas redes sociais. Juntos vamos chegar mais longe pela saúde mental.

#depressaosemrodeios